Notícia

Ver notícia

Em decomposição, as ruppias marítimas se confundem com esgoto e desequilibram o ecossistema

Quem passou pela Lagoa de Freitas, na manhã da última quinta-feira (06/10), se deparou com uma “montanha de capim” sendo retirada da água. Na verdade, eram 6,5 toneladas de Ruppia Marítima, uma espécie de planta aquática que quando se desprende do fundo acaba produzindo uma espuma esbranquiçada e mau cheiro, sendo facilmente confundida com esgoto.

A retirada das plantas aconteceu no trecho do Parque dos Pedalinhos e do Baixo Bebê, na saída do Túnel Rebouças.

“Essas plantas são naturais do ecossistema, mas em excesso na superfície e quando entram em decomposição, elas diminuem a quantidade de oxigênio e acabam afetando a vida marinha no seu entorno”, explica o biólogo Mario Moscatelli.

As equipes da Águas do Rio estão cuidando da Lagoa bem de perto, desde o início das operações, que completam 1 ano em novembro.

“Existe uma cooperação entre a Águas do Rio e os órgãos envolvidos na limpeza urbana e meio ambiente. Há um ano, mantemos contato direto com a Colônia de Pescadores e também monitoramos as margens da Lagoa com uma equipe volante que fica alerta para qualquer possível vazamento de esgoto ou outra situação fora da normalidade”, ressalta o coordenador de Operações José Maria Coelho Vaz.

Compartilhar:

Veja Também

DDF e DA – Declaração de Conexão Saiba mais
DDF e DA – Declaração de Conexão

DECLARAÇÃO DE ABASTECIMENTO – DA e DECLARAÇÃO DE DESTINO FINAL – DDF DESCRIÇÃO: A Declaração de Abastecimento tem o objetivo de certifica...

Contatos Saiba mais
Contatos

O serviço de atendimento da Águas do Rio funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

Legislação e Tarifas Saiba mais
Legislação e Tarifas

Os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário implicam em custos e investimentos permanentes.

Viabilidade de Empreendimento Saiba mais
Viabilidade de Empreendimento

Viabilidade de Empreendimentos